Como o ambiente e projeto da sala de aula influenciam o aprendizado
Design

O projeto da sala de aula engloba desde o layout até a escolha e disposição de móveis escolares. Veja como a estrutura da sala de aula influencia o aprendizado.

Novos desenhos para salas de aula surgiram a partir da Revolução Industrial

Do meio para o final do século XIX, muitos centros urbanos começaram a ter escolas maiores, com designs que se inspiravam na arquitetura neoclássica.

Para salas de aula, propriamente, era considerado que a luz do dia e a ventilação natural eram importantes, então grandes janelas faziam-se presentes. Esse recurso também era válido para que alunos pudessem, por alguns momentos, “descansar os olhos”.

Os móveis escolares eram de madeira, pesados, e a organização da sala de aula era clássica, com todos os alunos virados para o professor, como se manteve durante muito tempo. Também existia separação entre meninos e meninas, inclusive em níveis secundários e superior.

Na Europa, na virada do século XIX para o século XX, devido aos surtos de tuberculose começaram a surgir as escolas “abertas”, como a Waldschule, na Alemanha. Nessas escolas, as salas de aula priorizavam a ventilação e geralmente ficavam em ambientes abertos com grandes janelas ou portões de vidro.

A arquitetura de alguns destes prédios, tanto interna quanto externamente, mimetizava hospitais, dando assim uma noção de “arquitetura higiênica”.

Década de 20 é precursora no estilo de escola que conhecemos

A partir da década de 20, muitos arquitetos passaram a voltar mais sua atenção para projetos de escolas, como Richard Neutra e Walter Gropius.

Estas escolas eram caracterizadas pela sua ênfase:

  • No ar fresco;
  • Luz do dia;
  • No aprendizado externo...

E em um fluxo simples através de estruturas que ajudavam os estudantes a ter saúde física e bem-estar mental.

O mobiliário escolar começava a ficar mais leve, com o início do uso de carteiras universitárias semelhantes à forma como conhecemos hoje.

No período pós-guerra, a questão do custo começou a fazer diferença. Assim, começaram a se projetar escolas térreas, com diversos corredores, e a iluminação artificial começava a tomar protagonismo cada vez maior.

Durante os anos 60 e 70 muitos projetos visavam reconfigurar espaços já existentes para transformá-los em escolas, o que permitiu o surgimento de designs interessantes.

Um dos desafios de hoje em dia é criar escolas sustentáveis. Torna-las mais “verdes”, apostando assim no reaproveitamento de água da chuva, na geração da própria eletricidade e muito mais.

A Escola de hoje

Hoje em dia, gestores escolares precisam levar em consideração todos os aspectos relativos ao espaço escolar, visando garantir o melhor aproveitamento dos seus alunos e professores.

A sala de aula é um dos ambientes da escola que o gestor deve estar mais atento a fim de criar uma atmosfera propícia para o aprendizado.

Diversos fatores são levados em consideração quando os pais escolhem uma escola para seus filhos.

Entre as ponderações para esse momento mais comuns estão:

  • Localização da escola;
  • Proposta pedagógica;
  • Tradição da escola;
  • Atividades extracurriculares...

Entretanto, outro importante elemento que não pode ser desprezado é a infraestrutura da escola.

Espaços complementares, biblioteca, quadras para esportes, enfim, todo a estrutura da escola propriamente.

Afinal de contas, para a boa formação do estudante, não deve-se levar em consideração apenas os professores e os materiais didáticos disponíveis, mas igualmente o ambiente e espaço físico que ele frequentará.

Para um jovem, que frequenta o ambiente universitário ou de um curso técnico, essas premissas continuam valendo, o que muda é o perfil de quem determina a escolha entre essa ou aquela entidade.

Sendo assim, tanto para um estudante do nível de pré-escola, como para um universitário, o projeto da sala de aula deve proporcionar não apenas beleza estética. Mas sim, ser acolhedor e motivador, garantindo a esses estudantes conforto, praticidade, funcionalidade e segurança.

Projeto de sala de aula: A dialética entre espaço físico e aprendizagem

Atualmente pode-se considerar que a conexão entre o design da sala de aula e os resultados de aprendizagem são mais do que simples conjecturas. Uma pesquisa científica recente comprova isso.

Um estudo de 2015 da publicação Building and Environment descobriu que a mudança de alguns elementos fundamentais do design da sala de aula pode aumentar os resultados de aprendizagem do aluno em 16%.

De acordo com o estudo, fatores como a qualidade do ar, iluminação e o senso de pertencimento dos alunos afetaram a capacidade dos alunos de aprender.

Nesse contexto, ressaltamos que o projeto de sala de aula deve considerar:

  • O mobiliário escolar;
  • O layout dos móveis;
  • O conforto térmico e a ventilação;
  • A decoração;
  • A iluminação;
  • A segurança.

Todos os aspectos do projeto fazem diferença na construção do ambiente de sala de aula. Entretanto, alguns detalhes têm maior impacto e podem proporcionar melhores resultados, entre eles:

Qualidade do ar

De acordo com o estudo citado anteriormente, a boa qualidade do ar e as temperaturas confortáveis do ambiente melhoraram o progresso do estudante em 28%.

Podemos decorar as salas de aula com plantas para melhorar a qualidade do ar e melhorar a iluminação deixando a sala mais clara. É essencial uma boa ventilação ou o uso de ar condicionado para regular a temperatura.

Opções de escolha para os alunos

Dar opções de escolha para o aluno é um fator importante na criação de um ambiente de aprendizado ideal. Deixar os alunos escolherem como eles aprendem lhes dá um sentimento de posse e cria um senso de comunidade na sala de aula.

Os educadores podem fazer isso fornecendo opções de mobiliário flexíveis e permitindo que os alunos decidam onde farão e como gostariam de trabalhar.

As opções de assentos flexíveis podem incluir: puffs, estações de trabalho individuais, tapetes ou almofadas, sofás e poltronas, mesas ou mesas para trabalho em pé, cadeiras fixas ou com rodízios, arquibancadas, entre outros.

Complexidade

O layout geral e os aspectos de design de interiores da sala de aula — incluindo o uso da cor — podem criar um ambiente que seja estimulante ou monótono. O estudo citado mostra que um layout equilibrado com lousas, quadros de aviso/cortiça e uma parede chamativa pode aumentar o progresso do aluno em 23%.

Da mesma forma, não podemos escolher a cor de paredes e teto destes espaços sem racionalidade ou que levem em consideração apenas a estética. Devemos considerar cores que despertem aspectos psíquicos, físicos e cognitivos, visando estimular a atividade intelectual ou provocar relaxamento, dependendo do objetivo.

Layout dos móveis

O layout das carteiras e assentos têm uma influência significativa no engajamento do estudante em uma aprendizagem ativa.

Um estudo da empresa Steelcase, demonstrou que estudantes e docentes aumentaram mais de 30% o engajamento em sala de aula utilizando as carteiras escolares em novas configurações do que com o antigo padrão de fileiras tradicionais.

Deve-se sempre priorizar os layouts que estimulem a colaboração e flexibilidade. Mesas e cadeiras escolares devem ser facilmente movimentadas, por isso considere sempre utilizar móveis com rodízios.

Iluminação

Um bom projeto luminotécnico é fundamental porque grande parte dos estímulos e demandas que existem dentro do espaço de sala de aula são visuais.

As luzes fluorescentes de estilo industrial são pouco atraentes e, pior, podem interferir na aprendizagem dos alunos. Em particular, os estudantes com autismo ou audição sensível podem se distrair com o zumbido de lâmpadas fluorescentes.

A luz natural é ideal para ambientes de sala de aula. Na verdade, os alunos em salas de aula com grandes janelas e luz do dia podem ter uma melhor performance em leitura e matemática. Em salas de aula que não têm janelas podemos utilizar luminárias com lâmpadas que simulam a luz natural para criar um efeito semelhante.

Salas de aula que somem à vida do estudante

Muito tem se falado em projetos da sala de aula inovadores na última década. Escolas e universidades apostam cada vez mais em interiores atraentes, desenvolvidos com base nas últimas tendências do design.

Muitos pesquisadores consideram que as salas de aula do modelo tradicional, são obsoletas e que não cabem mais dentro das necessidades modernas dos estudantes, como podemos ver neste artigo de Prakash Nair, um dos mais renomados arquitetos especializados em escolas.

Segundo este arquiteto visionário, a sala de aula do século XXI tem que ser:

  • Personalizada para os alunos que vão utilizá-la;
  • Segura;
  • Direcionada aos estudantes, promovendo a autonomia;
  • Colaborativa;
  • Interdisciplinar;
  • Com mobiliário escolar flexível e adaptável;
  • Que abrace uma cultura de excelência;
  • Ambientalmente consciente;
  • Que ofereça fortes laços com a comunidade que a cerca;
  • Ligada ao mundo e a tecnológica.

O design da sala de aula tem o poder de impactar o bem-estar e a motivação dos alunos, seja para melhor ou para pior.

Como os alunos têm que gastar grandes pedaços de tempo na escola, as salas de aula devem ser acolhedoras e calorosas para impulsionar a moral estudantil. Adicionalmente, o projeto da sala de aula pode facilitar as experiências de aprendizagem dos estudantes com necessidades especiais.

As salas de aula tradicionais podem ser transformadas em espaços de caráter multimodal com vários tipos de espaços de trabalho para maximizar o potencial dos alunos que aprendem de diferentes maneiras. Esses espaços de trabalho podem incluir:

  • Um espaço "biblioteca" dentro da sala de aula com livros, prateleiras e cadeiras confortáveis para a leitura;
  • Uma área comum, talvez em um grande tapete ou entorno de uma grande mesa, para discussões da classe;
  • Um centro de pesquisa com uma estação de trabalho com computador;
  • Mesas ou divisórias móveis, cabines privativas de estudo para o trabalho independente e focado;
  • Mesas e cadeiras para trabalho colaborativo de pequenos grupos.

Isto permite aos alunos escolherem qual o espaço que consideram mais adequado para certa atividade. Afinal, cada aluno possui uma forma específica de aprender, sendo necessário, portanto, os espaços serem modificáveis e versáteis.

Gestor escolar e a infraestrutura da escola

Instituições que têm o compromisso com um ensino de qualidade e que almejam permanecer como referências, devem redobrar sua atenção com o ambiente de sala de aula, especialmente com o mobiliário escolar.

Além disso, é muito importante que o projeto arquitetônico e de design “dialogue” com as propostas pedagógicas que são adotadas pela instituição de ensino.

O objetivo de um bom projeto de escola ou sala de aula deve ser valorizar sensações e atitudes boas como:

  • Acolhimento;
  • Autonomia;
  • Liberdade;
  • Pertencimento.

Diante disso, cabe aos gestores escolares trabalhar no sentido de oferecer aos alunos uma excelente estrutura que permita que eles exerçam todo o seu potencial.

Conheça nossos produtos

Carteira Flex Pro
Carteira Flex
Carteira Duo

Inscreva-se e receba conteúdo relevante sobre educação
e novos produtos da Habto.